seg. out 21st, 2019

Mitos e verdades sobre carros comprados em leilão

Leilões de veículos geram muitas dúvidas nas pessoas. Neste post, vamos tratar de algumas que dizem respeito ao pós-compra, ou seja, ao que pode acontecer após a aquisição do bem: Haverá dificuldade em fazer seguro? O documento vai dizer que o carro foi comprado em leilão? O fato de ter sido comprado em leilão pode afetar o valor de revenda?

Para responder questões como essas, entrevistamos os leiloeiros Flavio Cunha Sodré Santoro e Moacir De Santi, da organização Sodré Santoro. Eles apontaram o que é mito e o que é verdade em relação a afirmações comuns sobre o assunto.

Quem compra carro em leilão não consegue fazer seguro.

MITO. As companhias costumam segurar normalmente carros comprados em boas condições, como os que são fruto de renovação de frota de empresas e os que os bancos retomam de financiamentos. Nesses casos, o máximo que pode acontecer é você ter de apresentar um laudo atestando as boas condições do veículo ou pesquisar em mais seguradoras disponíveis no mercado.

Já carros comprados batidos podem enfrentar mais restrições, mas isso não ocorre exclusivamente com veículos adquiridos em leilão. Dependendo do nível do dano e da qualidade do conserto, algumas companhias se recusam ou aceitam fazer o seguro apenas até um limite do valor de tabela daquele ano e modelo. Vale consultar o mercado.

O documento do veículo informa que ele foi comprado em leilão

MITO. O documento do carro não diz que ele foi comprado em leilão, embora essa informação possa aparecer em laudos de vistoria desses que são realizados para fazer a transferência do veículo. O que pode aparecer no documento é a informação de que ele foi recuperado de sinistro. Isso acontece quando você compra um carro que sofreu uma colisão, que afetou sua estrutura, provocando um dano considerado de “média monta”. Nesses casos, após o conserto, o veículo precisa passar por uma inspeção especial no Inmetro, que ateste as condições de circulação, e o número do laudo fica registrado no documento.

O lucro ao revender um carro de leilão é menor

MITO. Quando se compra em leilão, o principal benefício está no total pago para a aquisição do veículo que deseja, que costuma ser menor do que o praticado no mercado. Ao revender esse mesmo item, mesmo com a depreciação natural que ocorre no comércio em geral, basta fazer as contas, comparando a quantia investida e o valor de revenda para atestar o bom negócio que foi realizado. “Embora possa haver alguma desvalorização em relação ao valor de tabela, ela geralmente é muito menor do que a vantagem que a pessoa teve ao comprar o veículo no leilão”, afirma o leiloeiro Moacir De Santi. Ele lembra que, em geral, carros sem avaria são arrematados por preço de 5% a 35% abaixo da tabela – valor que pode ultrapassar 50% no caso de carros sinistrados.

Dívidas anteriores ao dia do leilão não informadas no edital são de responsabilidade do antigo dono.

VERDADE. O edital do leilão pode trazer a relação de multas do veículo e informar que o pagamento deverá ser feito pelo comprador. Se aparecer alguma multa nova anterior à data do leilão e não informada no edital, o pagamento será de responsabilidade do vendedor – como acontece em transações normais de compra e venda de veículos. Para não ter surpresas, o segredo é ler atentamente o edital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *